Literatura infantil |Um mundo de imaginação, sonhos e fantasias

Literatura infantil |Um mundo de imaginação, sonhos e fantasias

LITERATURA INFANTIL

Um mundo de imaginação, sonhos e fantasias

Por: JK 

A literatura infantil é, antes de tudo, literatura. Ela pressiona arte, beleza e exclusão e não impede o termo infantil que é adjetivo, “nada impede que agrade também ao adulto, como nada modifica sua característica literária”, se escreve para adulto, agradar e emocionar uma criança. (Pina, Juraci Coutinho).

Tendo uma literatura uma função social, vinculada à função estética-educacional, para tratar literatura infantil, especialmente, ela deve ser concebida, aplicada não somente a ele e a recreação, mas também a formação. Razão porque os Encontros para debate sobre gênero literário sempre contam com a participação de pedagogos, professores, psicólogos, artistas plásticos e outras pessoas com afinidades com ciências e técnicas da educação, como contribuir com uma experiência acumulada no campo da educação / formação e sem acompanhamento psicológico e pedagógico dos mais novos, sendo certo que as propostas e sugestões que apresentam enriquecem a literatura infantil.

A literatura infantil divide-se em dois momentos: a escrita e a lendária . A lendária nasceu da necessidade de que as mães se comunicassem com seus filhos, contassem coisas que os rodeavam, sendo estas apenas contadas, não sendo registradas por escrito.

Os primeiros livros infantis surgiram no século XVII, quando da escrita das histórias contadas oralmente. Foram criadas obras de fundo satírico (poesia em que o autor coloca o ridículo ou sarcástico) em que autor, concebidas por intelectuais que lutam contra uma opressão para estigmatizar e condenar os usos, costumes e personagens que oprimiam o povo. Os autores, para não serem afetados pela força da tirania, foram obrigados a ocultar suas intenções sob um manto fantasioso (Cademartori, 1994).

O início da literatura infantil pode ser marcado com Perrault, entre os anos de 1628 e 1703, com os livros “Mãe Gansa”, “O Barba Azul”, “Cinderela”, “A Gata Borralheira”, “O Gato de Botas” e outros. Depois disso, aparecem os seguintes escritores: Andersen, Collodi, Irmãos Grimm, Lewis Carrol, Bush.

Penso que criança que desde muito cedo entra em contato com uma obra literária escrita terá uma compreensão maior de si mesma e do outro. Ter a oportunidade de desenvolver o seu potencial criativo e ampliar os horizontes da cultura e do conhecimento, perceber o mundo e a realidade que cerca.

Bettelheim em 1996 concordou comigo afirmando que; enquanto diverge uma criança, o conto de fadas esclarece sobre si mesma e favorece o desenvolvimento de sua personalidade. Ofereça significado nos níveis diferentes, e aprimore a presença da criança de tantos modos que nenhum livro possa fazer justiça à multidão e diversidade de contribuições que esses conteúdos são permitidos na vida da criança.

Outros autores como Aguiar & Bordini 1993, afirmam que: uma literatura infantil se configura não apenas como instrumento de formação conceitual, mas também de emancipação da manipulação da sociedade. Se a dependência infantil e a ausência de um padrão de comportamento são questões que interpenetram, configurando uma posição de relação infantil ou adulto, uma literatura surge como um meio de superação da dependência e carência por possibilitar uma reformulação de conceitos e a capacidade do pensamento.

São poucas as crianças que têm o hábito de ler no nosso país. A maioria tem o primeiro contato com literatura apenas quando chega na escola. E desde então, é uma obrigação, pois infelizmente muitos professores não gostam de trabalhar com literatura infantil e talvez desconheçam técnicas que ajudem a dar a vida às histórias e, consequentemente, produzam aprendizados. Muitos não levam em conta o gosto e a faixa etária em que a criança encontra, sendo que muitas vezes o livro indicado ou lido pelo professor está além das possibilidades de compreensão dos mesmos em termos de linguagem.

Como disse no início, uma literatura infantil antes de mais literatura, logo um gênio da literatura infantil não pode estar dissociada da literatura angolana no seu todo.

Quero deixar claro nesse artigo que, quando trata de literatura para adultos, em princípio, cada um é livre de escrever ou fazer perguntas e respostas, bom ou mau, não fica envolvido na crítica de critérios do leitor. Mas quando se trata de escrever para crianças diferentes, quem escreve tem a obrigação de produzir o melhor . Uma escrita que requer muito cuidado e atenção – linguagem e ilustração fantasiosa e imaginativa para cativar, bastante perspicácia na elaboração de texto e forma quase pura e ingênua de como devem ser abordadas como questões penosas, de maneira que a criança continue imaginando o sonhar e a percepção de que o caminho da vida também existe, mas que por trás do dor é possível ver alguma coisa de belo.


CONHEÇA OS NOSSOS LIVROS INFANTIS

Editora Acácias

Editora Acácias Editora Acácias


LEIA TEMBÉM

Novos Tempos na Literatura

Escritores ou Amadores?

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Eu aceito a Política de Privacidade * for Click to select the duration you give consent until.

Abrir o chat
Olá,
Como Podemos Ajuda-lo!